Enviar lista por e-mail

Boleto Bancário

O boleto deve ser impresso após a finalização do pedido, pois não enviamos via correio.

A data de vencimento do boleto é de 5 dias corridos após o fechamento do pedido, após esta data ele perderá a validade. Na impossibilidade de imprimí-lo, faça o pagamento do boleto pelo Home Banking do seu banco. Para isso, utilize o código de barra localizado na parte superior esquerda da ficha de compensação do boleto. Não é possível pagar seu boleto atravéz de DOC, transferência e depósito para a conta indicada neste boleto.

Abaixo estão os prazos para confirmação de pagamento do seu pedido, de acordo com a forma de pagamento do boleto.
Pago em dinheiro no Banco Bradesco: 1 dia útil
Pago em dinheiro em outros Bancos: 2 dias úteis
Pago em cheque no Banco Bradesco:
- Cheque abaixo de R$ 300 = 2 dias úteis
- Cheque acima de R$ 300 = 1 dia útil.
Pago em cheque em outros Bancos: 5 dias úteis.

Encontre A Fremax

Point Map Endereço:
Rua: Anaburgo, 5.600
Joinville. SC - Brasil

27/08/2019

Óleos lubrificantes: entenda a diferença

Os óleos lubrificantes são essenciais para o bom funcionamento do veículo. Eles ajudam a reduzir o atrito entre as peças, o que diminui o desgaste e favorece a atuação do motor. Como resultado, o automóvel trabalha melhor e os clientes da oficina ficam mais satisfeitos.

 

Para aproveitar esses benefícios, é preciso acertar na decisão. No mercado, há diversas alternativas e cada tipo atua de um jeito, devido às condições de fabricação. Então, o ideal é conhecer as características para realizar uma boa escolha.

 

A seguir, veja as diferenças entre os óleos lubrificantes do setor e entenda os pontos positivos de cada um!

 

Óleo lubrificante mineral

O óleo lubrificante mineral é o mais comum do mercado. Ele é produzido através de uma combinação de aditivos e óleos básicos obtidos pelo refino do petróleo.

Apesar de ter uma fórmula mais simples que a dos sintéticos e dos semissintéticos, uma boa marca cumpre bem a função de auxiliar no funcionamento do motor e não deixará o motorista na mão.


Tempo de troca

Por conter certos aditivos, o tempo de duração desse óleo é um pouco menor. Enquanto lubrificantes tradicionais duram, em média, 12 meses, o valor do mineral pode cair pela metade. Em alguns casos, o recomendado é ficar de olho na quilometragem e fazer a troca a cada 5.000 quilômetros.

No entanto, não deixe de usar uma regra que vale para todos: veja o desempenho. Verifique se o produto mantém a viscosidade e a cor e se o veículo tem funcionado corretamente. Assim, você saberá se é preciso antecipar a substituição — já que não é recomendável adiá-la.

Além disso, é imprescindível avaliar o que está indicado do manual do proprietário, onde especificações para o tipo de veículo estão inseridas.


Benefícios

Escolher um óleo lubrificante mineral não é benéfico apenas pela facilidade de encontrar no mercado. Ele traz muitas vantagens para os veículos e, portanto, deve ser considerado em sua próxima troca. Veja quais são os pontos de destaque!


Preço menor

Por ter uma fabricação mais simples, o preço também é menor. No entanto, não significa que ocorra a perda de qualidade. Ao selecionar uma marca de confiança, é possível garantir que o automóvel receba a proteção necessária com esse tipo.


Ideal para veículos antigos

Como a fabricação envolve uma tecnologia básica, o óleo lubrificante é perfeito para carros antigos. Em peças originais de algumas décadas atrás, ele gera um resultado satisfatório.


Grande versatilidade

Outro ponto importante é que ele serve muito bem para veículos de passeio em diversas condições. Graças à sua capacidade de manter o motor limpo, pode ser usado na cidade, em rodovias ou em trajetos longos.


Óleo lubrificante sintético

Já os óleos lubrificantes sintéticos têm, como base, produtos feitos em laboratório. O componente sintético recebe alguns aditivos, que têm funções especiais no cuidado com o veículo.

Como ele é desenvolvido com foco no máximo desempenho, ajuda a aumentar a proteção tanto do motor quanto do desgaste das peças.


Tempo de troca

Como é considerado o produto de maior qualidade entre os tipos disponíveis, também tem uma duração estendida. Muitos fabricantes recomendam o período limite de 12 meses. Em alguns casos, o tempo é de 6 meses, de modo a evitar a perda de propriedades por umidade, por exemplo. De qualquer forma, o ideal é sempre seguir as instruções do fabricante.

Em relação à quilometragem, é comum que o máximo seja de 10.000 quilômetros rodados. Então, para quem usa bastante o carro, acaba sendo a alternativa mais prudente.


Benefícios

A fórmula completa do lubrificante sintético garante a ele propriedades melhores, em comparação aos outros tipos. Para descobrir o que ele tem de diferente, veja o que merece a sua atenção.


Manutenção da viscosidade

Apesar de conter aditivos, essa alternativa tem uma estabilidade maior de viscosidade. Mesmo em temperaturas mais altas, como as causadas pelo uso intenso, não afetam a característica, o que mantém as propriedades.


Proteção estendida

Como a viscosidade é mantida em diversas condições, a carbonização do motor é menor. Na prática, também há menor atrito entre as peças. Com isso, há uma proteção reforçada para as peças.


Diminui o consumo de combustível

É verdade que o uso dos óleos lubrificantes, quaisquer que sejam, ajudam a reduzir o gasto de combustível porque ampliam a eficiência. O sintético, entretanto, é o que oferece esse resultado com mais intensidade. Desse jeito, é ideal para consumir menos combustível e ter o melhor aproveitamento.


Uso ideal para motores de alta rotação

Se o veículo tiver um motor de alta rotação, é sinal que tem uma potência elevada. Nesse caso, o semissintético é a opção mais recomendada, por trazer a segurança necessária contra a carbonização.  


Óleo lubrificante semissintético

O semissintético fica entre o sintético e o mineral, mas apresenta propriedades diferentes dos dois. A sua base tem uma proporção específica entre a mineral e a sintética, o que forma um terceiro composto com propriedades distintas.

Ele ajuda a preservar o motor, apesar de não ter a potência do sintético. Com uma durabilidade interessante, oferece resultados diferenciados para quem deseja cuidar das peças.


Tempo de troca

Apesar de não ser totalmente sintético, essa versão tem uma durabilidade semelhante. Em relação à quilometragem, consegue durar de 7.000 a 10.000 quilômetros, embora, em média, a troca seja recomendada por volta dos 8.000 quilômetros.

Quanto ao tempo, o ideal é que a substituição seja feita a cada 6 meses, se a quilometragem não for alcançada. Isso acontece porque ele tem alguns aditivos dos minerais, o que leva a uma durabilidade intermediária nesse sentido.

Ainda assim, é sempre importante consultar o que diz o manual do proprietário para evitar problemas.


Benefícios

Entre os óleos lubrificantes disponíveis, esse é um tipo considerado de transição. Como oferece qualidades dos dois anteriores, tem vantagens próprias. Para não ter dúvidas, veja quais são os pontos de destaque!


Ótimo custo-benefício

Por não ser inteiramente sintético, esta opção não é tão cara. Como não é totalmente mineral, apresenta uma capacidade extra de proteção. Ao unir o melhor dos dois mundos, oferece um excelente custo-benefício para boa parte dos motoristas.


Adequação a novos motores

Como envolve, parcialmente, a tecnologia do sintético, essa é uma alternativa que funciona bem para os veículos mais modernos. Como tem valor intermediário, consegue se destacar em relação aos outros nessa aplicação.

Os óleos lubrificantes têm diferenças na fabricação, no uso e na performance. Com a escolha da alternativa ideal para cada caso, é possível garantir bons resultados para os veículos e a melhor experiência em sua oficina.

Quer muitas outras dicas para conquistar um alto desempenho? Curta nossa página no Facebook e esteja sempre por dentro!